7 de dezembro de 2009

Palmeiras - o maior derrotado de 2009


por: Thiago Vidal


Primeiramente, parabéns aos cariocas, que esse ano, realmente mostraram o que é vontade, garra e determinação. O Vasco subiu e garantiu o título da segundona rodadas antes de seu final, e retornou a primeira divisão do futebol nacional, da onde nunca devia ter saído. O Botafogo escapou do rebaixamento na última rodada do campeonato, com uma sofrida vitória sobre o Palmeiras por 2x1 no lindo estádio João Avelange. O Fluminense teve a maior reação da história do Brasileirão. Tinha 98% de chance de cair e para todos, já estava na segundona. Incrivelmente, o time de Cuca resolvel não perder mais, e ficou invicto por 12 rodadas, o que resultou a permanência na série A. E o outro time carioca, não preciso nem falar, o campeão Flamengo, que com a humildade do competente Andrade, a técnica de Petkovic e a estrela de Adriano comandaram o rubro-negro carioca ao hexa-campeonato.


Por outro lado, a decepção do ano foi o Palmeiras, derrotado em todos os sentidos. Começou o Paulistão com 9 vitórias em 9 jogos, conseguiu uma campanha espetacular, porém acabou eliminhado na semi-final pelo Santos, perdendo por 2x1 na Vila Belmiro e no Palestra Itália.

O Verdão voltou suas atenções à Copa Libertadores, se classificou facilmente na fase preliminar, porém foi derrotado nas duas primeiras partidas na fase de grupos. Com isso, a missão do time do então técnico Vanderlei Luxemburgo era muito díficil, teria que vencer pelo menos 3 das últimas 4 partidas e conseguir mais um empate. Foi o que aconteceu. Ao lado do Sport, o Palmeiras se classificou para o mata-mata.

Nas oitavas de final, o Palmeiras enfrentou justamente o Sport. Venceu em seu estádio por 1x0, mesmo placar em que foi derrotado na Ilha do Retiro na semana seguinte. Com o brilho do Santo Marcos, que defendeu 3 pênaltis na disputa, o Palmeiras avançou. A equipe chegou confiante para as quartas-de-final contra o Nacional do Uruguai.

No primeiro jogo, em casa, o Palmeiras teve total domínio, e vencia por 1x0 até o finalzinho do jogo, quando em um momento de distração, o Nacional conseguiu o empate.

No jogo de volta, o Palmeiras fez de tudo, mas os uruguaios seguraram o 0x0 e eliminaram o Palmeiras.


Internamente, o clima esquentou. A saída do artilheiro Keirrison resultou na demisão do técnico Luxemburgo, e o interino Jorginho passou a comandar a equipe.

O Palmeiras se voltou para o Campeonato Brasileiro, e sob o comando de Jorginho, o Palmeiras conseguiu ótimos resultados na competição. Como já tinha sido anunciado antes, a diretoria estava atrás de um novo técnico, porque apesar da boa fase de Jorginho, ele não tinha muita experiência. Muricy Ramalho foi contratado. Era o atual tri-campeão brasileiro, e justamente na sua estréia o time assumiu a ponta da tabela.

O bom momento se prolongou, até que vários fatores atrapalharam a boa fase do Palmeiras. A badalada chegada de Vágner Love, que resultou no sumiço do artilheiro Obina, e a janela de transferências assustaram o Palmeiras. Porém a diretoria resolveu segurar de todo jeito os jogadores que eram procurados por clubes europeus, então a diretoria dobrou o salário de certos jogadores. Como o próprio goleiro Marcos disse, alguns jogadores passaram a se achar os riquinhos nessas condições.

O Palmeiras estava 7 pontos à frente, e teve inúmeras chances de disparar ainda mais. O último bom momento do Palmeiras foi a vitória sobre o Santos na Vila Beilmiro. Até então, o time era elogiado por todos, era o favorito ao título, e nomes como Valdívia, Conca, Kléber e até Riquelme eram especulados pelo clube para Libertadores de 2010. Mals resultados começaram a aparecer. Críticas, crises internas e até briga dentro de campo!

Resultado= Palmeiras fora da Libertadores 2010! O time terminou o campeonato em 5º lugar e a diretoria afirma que os investimentos para o ano que vem serão menores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário