30 de outubro de 2011

Destaques da 32ª rodada



Um dia de rei!
Neymar viveu um dia de melhor do mundo, melhor que Messi; digamos que um dia de Pelé! O camisa 11 santista fez 5 gols, sendo que um deles foi anulado. Nesse pique de marcar gols (já são 11 no Brasileirão) o jovem moicano entra de férias (o que ele ainda não teve esse ano) para se dedicar a preparação para o Mundial, no fim do ano, contra o Barcelona.

O jogo dos goleiros
São Paulo e Vasco duelaram em São Januário para alcançar seus objetivos. O tricolor paulista queria chegar o próximo possível de entrar novamente no G-5; já a equipe cruzmaltina jogou para manter a liderança. E advinha quem venceu? Ninguém. Os destaques da partida foram para as brilhantes defesas do reserva Dênis e do melhor goleiro do campeonato, Fernando Prass.

Para o Gaúcho aprender!
A torcida gremista queria se vingar de Ronaldinho Gaúcho e fazê-lo aprender que não se deve brincar com os tricolores. O Flamengo saiu vencendo, no Sul, por 2-0. O jogo parecido vencido, porém como a própria alcunha diz, o Grêmio é o: Imortal Tricolor! Eles não desistiram e não só viraram como deram um show fazendo 4-2 para os times da casa.

O jogo mais zicado
Atlético-MG e Palmeiras vivem intensas crises a alguns anos e hoje se enfrentaram em um jogo bem estranho também. O Galo venceu a partida por 2-1, porém de uma forma bem peculiar. O "craque" palmeirense, Valdívia, foi expulso. O Galo fez o 2-0 e Felipão mandou o alviverde pressionar, todavia a tática não funcionou, uma vez que Maurício Ramos também foi expulso. O Galo tinha a bola em seus pés, todavia quem marcou foram os visitantes, com Luan. Cuca estava contente pela vitória, mas quase sofreu o empate com diversos lances de bola parada pelo lado do Palmeiras. Enfim, o Galo venceu conseguiu fugir da Zona do Rebaixamento e colou no próprio Palmeiras que cada vez mais afunda na própria crise.

28 de outubro de 2011

Portugal está com tudo!

A Seleção Brasileira, de Mano Menezes, foi convocada para os amistoso contra Gabão e Egito. O técnico da seleção escolheu apenas jogadores que jogam no exterior para não prejudicar na briga tanto pelo título quanto por uma vaga na série A do Brasileirão. Os destaques foram para, além da volta de Kaká, os seis jogadores que jogam na Liga Sagres - de Portugal.

Do Porto os escolhidos foram: o lateral Alex Sandro; o meia/atacante Hulk e o centro-avante Kléber. O ex-santista mal jogou pelos Dragões e já foi convocado, acredito que por suas atuações no Santos. Mas onde ele realmente acertou foi na escolha de Hulk e Kléber; dois jogadores que estão em alta. O camisa 11 portista se recupera de uma lesão, todavia segue fazendo seus gols; quem sabe não é um reserva para Leandro Damião?

Bruno César e Luisão foram os convocados do Benfica. O ex-corintiano vive a melhor fase de sua carreira, como ele mesmo descreveu o momento. O zagueirão irmão do "Pirulito" Alex Silva é um ótimo zagueiro e costuma estar na lista de convocados, entretanto no banco; desta vez ele pode ter uma oportunidade.

A terceira potência portuguesa, o Sporting, teve apenas um convocado. Elias foi o escolhido por Mano e pode ajudar a montar as jogadas ofensivas com Kaká.

De destaques desta convocação também gosto de citar Hernanes, Willian e Kaká; três meias que podem ser muito bem usados por Mano. O jogador da Lazio já está um bom tempo mostrando um bom futebol; porém o técnico da seleção "desconfiava" dele desde sua expulsão no jogo contra a França. Willian é outra aposta de um jogador do Shakthar; Jadson e Fernandinho tiveram suas oportunidades e penso que foi uma boa convocação. Kaká também é uma ótima novidade. Mourinho tem tentado colocá-lo nos jogos e ele se mostra muito bem recuperado da lesão. Além de alguns gols marcados o camisa 10 da Copa de 2010 deu umas boas assistências e deve fazer o mesmo papel que Ronaldinho fez na "Selê".

O campeonato português está excelente. Benfica, Porto e Sporting brigam forte pela liderança e nada mais justo que convocar jogadores destes clubes. A convocação deles foi mais do que merecida. No geral Mano convocou muito bem, apenas senti do meia do PSG, Nenê.

25 de outubro de 2011

Chegou o incentivo

A equipe do São Paulo parecia desanimada nos últimos jogos. Em poucos lances vimos os craques saírem em velocidade e chutarem bem para levaram perigo ao goleiro adversário. Um time que conta com Lucas, Dagoberto, Juan e Piris (por exemplo) não pode jogar desta forma e parece que a solução chegou. Emerson Leão foi anunciado como novo treinador do tricolor do Morumbi na manhã desta segunda-feira.

Leão é um técnico determinado que a um bom tempo quer vencer um título de expressão. Agora ele terá uma grande oportunidade, uma vez que tem um ótimo elenco e uma bela oportunidade. O São Paulo tem apenas 1% de chance de ser campeão brasileiro, entretanto a Sul-Americana parece ficar cada vez mais fácil, já que os maiores algozes do clube (os times brasileiros) estão caindo um atrás do outro.

O tricolor do Morumbi precisa de um técnico que faça a equipe "comer grama", alguém que pega pesado. Nada de treinador "molenga" amiguinho de jogador; ele tem que defender seus atletas, porém cobrar mais do que tudo. Muricy deu certo com este estilo marrento e reservado, quem sabe Leão não siga o mesmo caminho?

Apesar do estilo de treinador cobrador ser importante o que mais faz falta no São Paulo é alguém que resolva os problemas do clube. O incentivo para encerrar as jogadas melhor: com chutes dignos de atacantes e meias. Além de resolver o problema das bolas aéreas do clube. Uma equipe que tem Rhodolfo (1,93m) e João Filipe (1,90m) na zaga não pode dar bobeiras como essas que o tal "Soberano" toma. A equipe está bem formada fora de campo, porém dentro dele é outra história.

A diretoria do SPFC fez o melhor que poderia. Milton Cruz não deveria continuar no cargo, para não perder o respaldo da torcida tricolor como assistente. O contrato de Leão se estende apenas até o fim do Brasileirão, ou seja, caso for bem, ótimo, continua no comando; todavia se for mal, cai fora sem o clube desembolsar um real sequer.

24 de outubro de 2011

Planeta Bola: De sensação a decepção


Atual campeão da Bundesliga, o Borussia Dortmund começou a atual temporada em ritmo lento. O time vai se encontrando aos poucos na Bundesliga e coleciona decepções na UEFA Champions League, mas, o mais notório é que as avassaladoras atuações que resultaram no título do campeonato nacional não vem sendo repetidas.

A base da última temporada foi praticamente mantida, houve apenas uma perda, que vem a fazer muita falta. Sahin mudou o jeito de jogar da equipe e a forma tática do futebol alemão, o segundo volante que apoia excessivamente o ataque passou a ser soberano nos outros clubes, contudo, o turco tinha um jeito de jogar diferenciado, ditando o ritmo do meio-campo e abrindo espaços para outros jogadores aparecerem e também se destacarem, caso de Kagawa, que não encaixou boas atuações.

Sem o seu principal jogador, fica notório que o Borussia sente um vazio. Tanto que o time se baseia em pressionar muito, acabar bobeando e tomar um gol de contra-ataque, abrindo ainda mais o meio-campo, não conseguindo encaixar a marcação e muito menos conseguir trabalhar a bola com tranquilidade. Resumindo, sem Sahin, o clube não se acertou, ressaltando a importância exercida por ele dentro da equipe.

O jovem elenco do time de Dortmund treinado pela revelação Jürgen Klopp precisa encaixar um estilo de jogo sem seu antigo jogador para quebrar com estigma de que tal geração não passa de grandes atuações na Bundesliga.

Uma das grandes sensações da última temporada na Europa, passa a ter o status de uma das grandes decepções da atual. Coisas do futebol...

Felipe Ferreira (@felipepf13) tem 14 anos, é fanático por esportes, sobretudo o futebol, e escreve em seu blog: http://territorioesportivo.blogspot.com

23 de outubro de 2011

O novo gigante

Havia dúvidas se Manchester City era realmente um gigante europeu, porém hoje já se sabe a resposta: os citizens são muito maiores do que pensávamos. A equipe comandada por Roberto Mancini aplicou um humilde 6-1 em seus maiores rivais Manchester United, o 2° melhor time do mundo.

O ataque da parte azul de Manchester não é tão bom no papel, uma vez que apenas Aguero é um jogador de renome. Dzeko e Balotelli não convenciam, todavia finalizam muito bem e estão ajudando o City em suas vitórias. Na goleada de hoje o polêmico avançado italiano deixou sua marca duas vezes, assim como o camisa 10. O genro de Maradona fez apenas um gol, mas participou bem de ótimas jogadas.

Apesar das boas atuações dos atacantes quem realmente está se destacando é o meia espanhol David Silva. O camisa 21 pode até ser considerado o melhor meia do mundo (ao lado de Xavi, Iniesta e Cristiano Ronaldo) sem nenhum exagero. Ele cria as jogadas que terminam em gol e muitas vezes é o melhor da partida.

O entrosamento do grupo também é importante. Milner, Silva e Aguero estão jogando muito bem juntos e grande parte dos gols passam pelos pés deles. Yaya Touré também é um nome importante, já que joga em diversas posições e pode substituir zagueiros, volantes, meias e até segundos-atacantes.

Não podemos nos esquecer do goleirão Hart. O loirinho inglês vem fazendo defesas espetaculares e consequentemente contribuindo para as vitórias (e a liderança) do Manchester City.

O time que não era destaque até pouco tempo é hoje um gigante e ocupa a primeira posição da Premier League, a 5 pontos do vice Manchester United. O grande desafio da temporada parecia bater seus rivais, não obstante os golearam; a moral subirá e o City tem tudo para despontar nessa temporada.

22 de outubro de 2011

Top 100!

Ano passado o NFC participou do Prêmio TopBlog 2010, entretanto não conseguimos chegar nem no Top 100. Todavia a história deste ano foi diferente. Recebemos muitos votos (obrigado!) e nos classificamos para o segundo turno, onde só restarão 3!

Não deixem de votar no Nosso Futebol Clube. É só clicar no banner do TopBlog 2011 (ao lado) e votar via e-mail ou Twitter.
Conto com seu voto!

20 de outubro de 2011

Falta um armador

Milton Cruz é uma das pessoas que mais conhece o elenco do São Paulo; já está no clube a um bom tempo e por muitos é considerado o técnico ideal para o tricolor paulista. Foi ele quem comandou o São Paulo no 1-0 de ontem sobre o Libertad. Luís Fabiano marcou seu gol, para a felicidade dos são-paulinos, mas ainda falta algo nessa equipe.

Cícero e Dagoberto estavam compondo o meio, uma vez que Lucas estava muito aberto e o camisa 25 voltava para dar assistência. Entretanto não é assim que a equipe deve jogar; estávamos perdendo poder de fogo com essa volta de Dagol e Cícero precisava de ajuda.

Hernanes seria o nome perfeito nesse elenco que precisa de um bom armador. O ex-camisa 10 tricolor joga em diversas (se não todas) posições do meio-de-campo, além de ser bom em bolas paradas e ser ambidestro. O jogador da Lazio cairia bem na vaga hoje ocupada por Cícero, que não é um jogador ruim, todavia o São Paulo precisa de algo melhor.

A composição de volantes está perfeita. Wellington trabalha como primeira volante, auxiliando a defesa e Denílson é mais livre para jogar. Casemiro é o nome ideal, porém o volante da Seleção Sub-20 ainda precisa ganhar experiência, já que segue se atirando. Lucas precisa de um companheiro de qualidade e Hernanes é um ótimo nome.

Hernanes não é a única opção. Precisamos de um jogador que saia para o jogo, ao estilo D'alessandro, Montillo, Conca e Thiago Neves.

O São Paulo já está de olho em contratações para o ano que vem. Paulo Miranda (zagueiro do Bahia) já assinou um pré-contrato, porém a diretoria do clube quer mais um defensor e corre atrás de Emerson (Coritiba) e Rafael Tolói (Goiás). Para o meio seria ideal a contratação de um jogador como Hernanes. Fabrício (Cruzeiro) também interessa aos são-paulinos, mas ainda faz um papel muito recuado (posição que o São Paulo tem jogadores de sobra).

19 de outubro de 2011

VERSUS: Barcelona X Real Madrid



Forma de jogo
O Real Madrid tem um futebol muito veloz e goleador, porém o que tem sido mais eficiente é a troca de passes do Barcelona. O time da Catalunha concentra seu futebol em Messi, Villa, Pedro, Xavi, Iniesta e Daniel Alves. Esses seis jogadores tabelam entre si e chegam diversas vezes ao gol. Não que o futebol madrilenho seja ruim, muito pelo contrário; os blancos sabem marcar gols (e muitos), todavia acabam perdendo a sincronia nas jogadas ofensivas.

Craques
O Real Madrid tem um elenco galático que a todo ano se renova, já o Barcelona prefere manter sua base com Messi, Xavi, Iniesta e companhia. Em termo de nomes los merengues tem superado, porém em campo quem tem decidido mais é o conjunto de bons jogadores da equipe azul-grená.

Jogo em grupo
O Barcelona é muito superior no jogo coletivo. O Real Madrid tem lampejos bons de trocas de passe, principalmente pelo lado esquerdo entre Marcelo e Cristiano Ronaldo. Entretanto o meio do Barça se encaixa bem com o ataque e a defesa e jogam como um só, o time não perde a bola.

Individualidade
Enquanto os catalães se destacam no jogo em grupo, os madrilenhos são os mestres em individualidade. Özil, Ronaldo e Di María jogam diversas vezes sozinhos passando por vários jogadores. O Barça também tem uma ótima qualidade de jogo sozinho, principalmente com Messi, mas os jogadores do Real superam o grupo de Guardiola nesse quesito.

Técnico
José Mourinho é um técnico mais consagrado na montagem de suas equipes do que Pep Guardiola. O treinador da equipe do Camp Nou não tem grandes dificuldades de montar esse time entrosado e habilidoso, além de não ter tido um “currículo”. Mourinho, entretanto, foi vitorioso no Porto, no Chelsea, na Inter e está sendo no Real (apesar de não ter tantos títulos). Mou alterna sua equipe caso necessário e faz ótimas substituições, ao contrário de Pep que em muitos jogos deixa a equipe principal quase a partida inteira.

Analisando esses pontos concluo então que o Barcelona é um time mais vitorioso, porém não muito na frente do Real Madrid. Creio que a equipe azul-grená supera os merengues nos quesitos “Forma de jogo”, “Jogo em grupo” e “Craques”, mas perdem na “Individualidade” e “Técnico”. Em uma competição o Barça costuma ser mais bem sucedido, entretanto o Real é mais competente em jogos soltos (como fases de grupo).

17 de outubro de 2011

Planeta Bola: O surpreendente Montpellier

Na Ligue 1, todos se mostravam ansiosos pelo desempenho dos poderosos Lyon, Olympique de Marseille, PSG e Bordeaux. No entanto, um clube vem roubando a cena em meio aos grandes, este é o Montpellier, que após ter terminado em 5° lugar na temporada 2009/2010 sob o status de recém-promovido, a equipe busca surpreender ainda mais e em sua terceira temporada na elite do futebol, o modesto time já ocupa a vice-liderança na liga, em meio a 10 rodadas decorridas.

Jogadores e comissão técnica mantém discursos cautelosos. Contudo, frente as glórias conquistadas pela equipe nos últimos nos anos (além do 5° lugar já citado em 2009/2010, a equipe foi finalista na última edição da Copa da Liga), nada mais justo do que já começar a ter sonhos altos.

Com apenas o 14° maior orçamento comparado a todos os outros times franceses, o Montpellier vê seu presidente, Louis Nicollin, exercer mandato desde 1974, sempre gerindo com muita a energia o time. Nestas condições, o clube achou um técnico também bastante energético, René Girard, vem fazendo um excelente trabalho frente a equipe, sempre baseado em muita raça e vontade, o que acabou por render a fama de violento.

Os jogadores da equipe são relativamente modestos, sem muito alarde, costumam mostrar muita personalidade dentro de campo, característica que vem a ser fundamental no time. As confianças são depositadas, especialmente, no trio composto pelos meias Marco Estrada e Younés Belhanda, além do
atacante Olivier Giroud, que não vem decepcionando dentro de campo.

Com muita personalidade e energia, o Montpellier vai buscando surpreender ainda mais, para assim cravar seu nome na história do futebol francês, um plano a longo prazo e bastante audacioso, no entanto, em meio a tantas surpresas, tudo o que vier a acontecer, vem a ser demais frente a esse modesto clube.

Felipe Ferreira (@felipepf13) tem 14 anos, é fanático por esportes, sobretudo o futebol, e escreve em seu blog: http://territorioesportivo.blogspot.com

16 de outubro de 2011

Destaques da 30º rodada

Adeus Adilson: Depois de, mais uma vez, seu time não jogar bem (São Paulo), o técnico Adilson Batista foi demitido nesta tarde após perder por 3 a 0 para o Atlético-GO no Serra Dourada. O ex-técnico em 22 partidas venceu 7, empatou 9 e perdeu 6, um desempenho razoável.

O embalado atacante: O atacante tricolor, Fred, vem de belas atuações pelo Fluminense, nas últimas duas partidas ele marcou 5 vezes e agora é mais um na vice artilharia - junto com Ronaldinho, Leandro Damião e William - do Campeonato Brasileiro.

Segundo turno é tricolor carioca: No segundo turno do Brasileirão o melhor colocado é o Fluminense com 8 vitórias (última sobre o Palmeiras), 1 empate e 2 derrotas. O time vem de bons jogos graças a seu ataque que vem funcionando bem, pois no segundo turno, junto ao Internacional (segundo melhor do returno), marcou 22 vezes.

Próximo à liderança: Botafogo neste domingo conseguiu uma vitória significativa, pois, além de continuar na cola dos líderes, tem a chance de ir para a primeira colocação se vencer na próxima quarta contra o Santos na Vila Belmiro. 

15 de outubro de 2011

Uma nova temporada

Na manhã deste sábado o FC Porto bateu o modesto Pêro Pinheiro por um nada modesto placar de 8-0, em um jogo válido pela Taça. O jogo foi marcado pela estréia de Iturbe (considerado o novo Messi) e Alex Sandro, com a camisa portista, entretanto o argentino não se deu muito bem.

Ao contrário de Iturbe, que saiu no intervalo machucado, o brasileiro Walter foi o destaque do jogo marcando 4 gols. Djalma (2), Varela e Defour completaram o placar. Apesar do jogo ter sido o único que realmente jogou a partida foi boa.

O Dragão dominou a temporada passada e está empenhado para fazer o mesmo neste ano. Agora o clube comandado por Vítor Pereira terá a difícil tarefa de jogar a Champions League, além de disputar com Sporting e Benfica, que se reforçaram muito bem, o título pela Liga Sagres.

Falcao deixou o clube, entretanto o clube português se reforçou bem com jogadores jovens. Iturbe, Alex Sandro, Danilo (que chega após o Mundial), Kléber e Djalma são algumas das novas aquisições da equipe. A Taça não é um grande campeonato, porém bons resultados nunca são demais.

A torcida portista pode comemorar a goleada sobre o Pêro Pinheiro, porém a grande expectativa estava voltada para Iturbe. O argentino se machucou e os brasileiros assumiram o jogo. Alex Sandro (que também estreava jogou muito bem) e Walter deixou seu nome quatro vezes no placar. Mais um dia feliz para os dragões, para lembrar a temporada 2010-11.

14 de outubro de 2011

Nosso Podcast - #De Volta

O Podcast está de volta e desta vez (novamente) tentarei mantê-lo. Tentaremos postá-lo toda as sextas-feiras. Digo "tentaremos", pois o "Nosso Podcast" será formado por eu (Felipe Simonetti) e Felipe Ferreira (do Território Esportivo).

A cada semana deve ser abordado um tema por estado (SP, RJ, MG e RS) e um internacional. As escolhas desta edição foram: Afastamento do Kléber; Superação do Flu; Crise em BH; as burradas de Celso Roth (e a fase do Grêmio); e o destaque do PSG na Ligue 1.

Assista, comente, sugira e divulgue!

13 de outubro de 2011

As caravelas lusitanas

Assim como as caravelas de Portugal chegaram ao Brasil em 1500 a Portuguesa grita "terra a vista" ao ver a série A tão próxima. A Lusa vivia um momento de desgosto para todos os amantes do futebol. O clube que já foi dono de uma enorme torcida hoje grande parte de seus torcedores divide o amor com outro time.

Jorginho, aliado a um bom elenco, conseguiu fazer a Portuguesa voltar. Oficialmente o Lusa ainda não está classificada, entretanto o acesso e o título estão muito próximos. Embora esteja com gás, um bom time e um técnico competente creio que o clube do Canindé não irá vingar na primeira divisão.

Os maiores clubes do país correrão atrás de seus reforços e a Portuguesa será a principal atacada. Os gigantes procuram bons jogadores por um preço baixo, tudo que há na Lusa. Os atletas não são dos mais glamurosos, porém tem vontade de se firmar em uma grande equipe. Jorginho é outro que tem seus dias contados; Tite e Felipão podem cair e seu nome pintará como provável.

Outro fator que existe contra o sucesso da Barcelusa na série A são seus adversários. Enquanto na segunda divisão a briga é contra Ponte Preta, Americana e Náutico, na primeira divisão enfrentarão clubes como São Paulo, Flamengo e Internacional.

Torço pelo sucesso lusitano na série A, todavia é bem improvável. O elenco deve se dispersar e Jorginho se transferir para um time melhor. Caso bons reforços forem feitos uma campanha regular será possível, quem sabe com uma vaga na Sul-Americana. Não há forma de evitar esse desmanche, infelizmente.

12 de outubro de 2011

Marcelo e Hulk, duas joias que estavam escondidas

A Seleção Brasileira jogou um futebol agradável ao meu ver. O primeiro tempo foi de assustar, devido ao gol sofrido, o pênalti e a expulsão. Entretanto tudo foi bem resolvido na segunda etapa com a saída de Lucas (que estava sumido no jogo) e a entrada de Adriano para reforçar o setor defensivo. Marcelo deu um show de ofensividade e jogou como um ala. Hulk estava programado para jogar de "centro-avante", mas acabou deslocando-se para a esquerda, onde fez uma ótima partida.


O time montado por Mano para o primeiro tempo funcionou muito bem, apesar das mudanças que ocorreram. A falta de entrosamento foi a principal falha do Brasil, que não jogou um bonito futebol coletivo. Hulk iria começar centralizado e Neymar caído pela esquerda, porém o camisa 20 preferiu jogar pelas laterais e o santista centralizou-se. Desta forma a equipe jogou melhor uma vez que Hulk se movimentou bem.

Após sofrer o gol e ter Daniel Alves expulso Mano resolveu mudar bastante seu time. Tirou Lucas que não estava jogando nada para por o lateral-esquerdo (pela direita) Adriano. Sendo assim Marcelo estaria mais livre para os contra-ataques enquanto Lucas Leiva cobriria sua zona lateral. O Brasil passou a jogar com dois atacantes com grande movimentação. Hulk e Neymar eram suportados por Ronaldinho que não vivia seus melhores dias.

Apesar do time estar bem montado o que realmente resolveu foi a individualidade. Ronaldinho empatou o jogo com um gol de falta, quebrando um enorme jejum de gols com a amarelinha, e Marcelo virou em uma jogada de tabelas e muitas velocidade.


























A atuação de Hulk e Marcelo me surpreenderam. Eu já tinha criado uma grande expectativa para ver o portista começar jogando, porém não esperava tanto. Ele participou bem das jogadas de velocidade, além de ter feito um bom papel de armador/pivô quando necessário. O lateral merengue já é destaque no Campeonato Espanhol a um bom tempo e não era surpresa de que se destacaria, mas ninguém esperava um gol.

Penso que o técnico da "Selê" montou o time muito bem e mesmo com a expulsão de seu lateral-direito soube suportar bem. Se fosse ele eu não teria tirado Hulk para por Jonas em um certo momento do segundo tempo, muito menos colocar Hernanes ao 49, e sim no meio da segundo etapa no lugar de Fernandinho. O Brasil não jogou de forma fabulosa coletivamente, porém está sendo bem moldada nesta forma ofensiva de jogo.

Gosto das pranchetas com esse visual elegante e organizado? Gostaria de fazer umas parecidas para dar aulas ou postar em seu site/blog de forma fácil e eficiente? Acesse o site do Tactical Pad (por este link) e adquira um pacote deste excelente programa.

11 de outubro de 2011

Série BH

Charge do grande chargista Mario Alberto
Os clubes mineiros vão mal das pernas nessa série A e correm risco serem rebaixados para a série B, que poderia até ser renomeada para série BH. Segundo o GloboEsporte.com o América-MG tem 99% de chance de ser rebaixado; o Atlético-MG tem 73% e o Cruzeiro 38%. Uma verdadeira crise.

Os três clubes mineiros estão em uma verdadeira crise e de forma inesperada. Não botávamos muita fé no América na primeira divisão, mas para quem vê Kempes e André Dias marcando muitos gols nas últimas rodadas não imagina a situação do clube. O Galo montou um belo time para o Brasileirão, todavia não há uma adaptação. O clube muda constantemente de técnico e elenco. O Cruzeiro era o clube que os brasileiros acreditavam que brigaria pelo título, porém entrou em uma crise repentinamente e caiu de produção muito rapidamente.

Para piorar a situação dos clubes mineiros eles tem uma tabela difícil pela frente pegando clubes que brigam pelo título e outros que querem ficar na série A. O América pega inicialmente jogos "fáceis" (não para o lanterna) contra: Ceará, Figueirense, Grêmio (que também vive uma crise) e Coritiba. Em seguida a lista fica mais difícil tendo pela frente Corinthians, Fluminense, Botafogo e São Paulo que brigam com unhas e dentes pelo título. Por último tem Atlético-PR (que corre para escapar do rebaixamento) e o Atlético-GO, que podem até vencer, entretanto já será a última rodada.

O Galo mineiro tem o caminho mais difícil, uma vez que encara Santos, Vasco, Fluminense, Palmeiras e Grêmio em uma sequência alucinante. Depois pega o Figueirense e o Coxa jogos em que o time comandado por Cuca pode vencer com certa facilidade. Para encerrar o campeonato pegam o Botafogo e por fim o Cruzeiro, clássico que pode decidir quem será rebaixado.

O clube celeste tem um melhor elenco e um caminho mais fácil, criando assim mais possibilidades de escapar do rebaixamento. Bahia, Corinthians, Atlético-GO, Botafogo, Flamengo, Inter, Avaí e Atlético-PR são os adversários do Cruzeiro até a penúltima rodada. Para encerrar tem dois jogos que serão alucinantes, uma vez que tem Ceará e Atlético-MG, ambos que brigam por uma vaga na série A.


Penso que não dá para o Atlético, uma vez que tem jogos muito difíceis e uma tremenda irregularidade. Se não dá para o Galo imagine então para o Coelho que tem um time muito limitado e grandes chances de rebaixamento. Já o Cruzeiro eu acredito que escapa, pois tem os jogos mais fáceis. Essa crise parece ser passageira, logo, acredito que o time volte para os trilhos.


E você acha que qual clube mineiro será rebaixado? E quem se manterá na série A? Deixe seu comentário via Facebook, Twitter (@nossofutebolfc) ou aqui em baixo mesmo.

10 de outubro de 2011

O novo craque do Brasileirão

Quer dizer que agora para ser craque é só fazer dois gols em um Fla-Flu? Isso está fácil demais... Como é de conhecimento geral, o Flamengo venceu o Fluminense por 3-2 nesse grande clássico carioca. E quem foi a estrela do jogo? Nada de Thiago Neves ou Léo Moura, mas sim o argentino que era tão xingado, Bottinelli.

Desde que chegou ao Fla os torcedores não param de pegar no pé, com razão, do argentino. Ele estrou bem (porém nada brilhante) e como não seguiu o ritmo é natural que a torcida reclame do jogador. Entretanto de uma forma muito conveniente os rubro-negros passaram a achar que Bottinelli é craque e "joga muito".

Não quero de forma alguma tirar os méritos do atleta, que fez uma ótima partida e salvou nos minutos finais o Flamengo de uma derrota (com dois golaços), mas não é um jogo que torna o cara craque. Ronaldinho, Conca, Neymar e companhia não brilharam tão fácil, podemos lembrar o caso em que Luxemburgo chamou o camisa 11 do Santos de "corpinho de borboleta". Eles suaram e jogaram bem, isso sim é um craque.

Enquanto a torcida exalta Bottinelli, o chama de rei e tudo o que tem direito; o argentino está na dele. Já desconversou todo esse papo de que não é ídolo, além de dizer que tem que treinar muito ainda para ser considerado um ídolo.

Depois de todo esse papo sobre o argentino ser craque vai esquecer (novamente de uma forma muito comoda) dessa partida e voltará a xingá-lo e pedir a entrada de Negueba. Eu só não quero ter que ouvir flamenguista dizendo que nunca exaltou o cara. Ele não tem o que reclamar e deve continuar com o duro trabalho, pois afinal só o tempo dirá se ele é craque.

Planeta Bola: O ressurgimento da Vecchia Signora


Uma tenebrosa passagem pela segunda divisão, tempos de vacas magras, sem o direito de jogar em seu legendário estádio, atuações poucos brilhantes. Esta foi a situação da Juventus nos últimos anos.

De fato, é estranho ver o tão tradicional clube passar por tudo isso em tão pouco tempo, porém, a Vecchia Signora vai mostrando que essa temporada pode ser a temporada e o time tem a oportunidade de voltar a brigar por um título, vendo assim a sua fanática torcida novamente de bem com a equipe.

Para essa temporada, a diretoria da Juve não poupou esforços e trouxe jogadores pouco badalados em meio ao grande público. No entanto, de uma precisão e eficiência incrível. Os destaques dos recém-chegados ficam por conta do volante Pazienza (ex-Napoli), o meia Pirlo (ex-Milan) , o meia-atacante Vidal (ex-Bayer Leverkusen) e os atacantes Elia (ex-Hamburgo) e Vucinic (ex-Roma).

Com a contratação de bons nomes, a venda de jogadores "indesejáveis" também ocorreu e, mantendo algumas boas peças da última temporada, a Vecchia Signora mostrou que pode chegar forte, mas ainda tem muita coisa a se acrescentar em cima desse ressurgimento.

A inauguração do Juventus Stadium parece apenas mais um detalhe, parece. Enquanto muitos acreditam que ter uma casa própria não atrapalha, um estádio de propriedade do clube dá uma moral maior aos jogadores e, o mais importante, inflama uma já fanática torcida, que faz um excelente papel como um 12° jogador, e, como esperado, o tradicional clube italiano se aproveita bem disso.

Eis que sobra o fator que, talvez, vem fazendo a maior diferença. Antonio Conte sempre demonstrou muita raça e disposição quando era jogador, foram 12 anos muito bem passados na Juventus, o que fez com que ganhasse o status de ídolo pelo seu papel de líder dentro de campo. Mesmo sabendo que sua relação com a torcida poderia ficar abalada, o ex-jogador aceitou o convite de treinar o clube onde fez sua história e acabou por mudar toda a cara de uma equipe buscando a reconstrução.

De fato, a Juventus tem poucos jogadores diferenciados em seu plantel. Pirlo e Del Piero são os que mais merecem esse quesito, contudo, o segundo não pode atuar todos os jogos pela sua condição física, resta o meia ex-Milan que deu uma cara nova ao meio-campo do time, ditando o ritmo de jogo e abrindo espaço para a crescente de outros jogadores, caso de Marchisio.

Em meio a tudo isso citado acima, Antonio Conte acrescentou uma pitada de suas duas principais característica de quando era jogador: raça e disposição. Com isso, o time foi ganhando cada vez mais sua cara e, se acertando aos poucos, o bom futebol passou a ser apresentado, aumentando as expectativas.

Falar que o time é o grande favorito ao título é bem precoce, no entanto, a grande vitória sobre o Milan no fim de semana passado, mostrou que a Vecchia Signora tem condições de chegar bem e voltar a jogar de igual para igual contra os demais grandes. Turbulências internas, antes comuns, parecem não existir, mas, a qualquer hora podem voltar, basta Conte e cia manterem a calma que o ressurgimento pode ser sacramentado.

Felipe Ferreira (@felipepf13) tem 14 anos, é fanático por esportes, sobretudo o futebol, e escreve em seu blog: http://territorioesportivo.blogspot.com

9 de outubro de 2011

Destaques da 28ª rodada

O emocionante 3-3
Tem gente que nem lembra mais, porém o São Paulo e Cruzeiro foi um jogão desta rodada. O jogo antecipado para quarta-feira terminou em 3-3. O tricolor paulista, jogou fora de casa, mas conseguiu dominar a partida. Não venceu, pois a zaga foi muito fraca e Luís Fabiano desperdiçou um pênalti. O time de Adilson dominou, porém o Cruzeiro correu muito e abusou dos contra-ataques muito eficientes.

Dalhe crise
O Palmeiras vive uma fase muito difícil. Venceu 9 partida, perdeu 6 e empatou incríveis 13 jogos. Felipão já perdeu a cabeça e desistiu até de uma vaga na Libertadores. O técnico que mais recebe no país não pode ter uma atitude dessas. Será que não tem uma outra proposta? O ataque está completamente ineficiente e perderam novamente, hoje para o Santos - por 1-0.

Um dia gringo
Os principais estrangeiros da série A se destacaram. Lanzini (Flu) e Botinelli (Fla) marcaram um e dois gols respectivamente no 3-2 para o rubro-negro no clássico carioca. E D'alessandro deixou sua marca na incrível vitória por 3-0 do Inter sobre o Vasco.

Uma retomada imperial
O "Imperador" Adriano estreou pelo Corinthians em um dia muito especial para a torcida Fiel. O Timão bateu por 3-0 e retomou a liderança, graças aos gols de Leandro Castan, Alex e Willian. O G-5 agora é composto por Corinthians (51 pontos); Vasco (50); São Paulo (47), Flamengo (47) e Botafogo (46), uma verdadeira bagunça.

A dupla fabulosa

Voltando de lesão, Fernandinho parece ser a melhor opção para jogar com Luís Fabiano.
Luís Fabiano voltou aos gramados e já mostra que o jeito artilheiro ainda está ativo. O Fabuloso chutou bem em sua volta contra o Flamengo e contra o Cruzeiro (apesar de perder um pênalti e falhar em um gol celeste) foi muito bem ofensivamente. Dagoberto afirmou que sairá do São Paulo ao fim de seu contrato; então me pergunto: Quem formará a dupla fabulosa? A diretoria já disse que Fernandinho poderia fazer essa dupla com o camisa 9.

O vice-presidente tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, falou muito bem ao dizer que Fernandinho é o jogador perfeito para quando se tem um centro-avante artilheiro na área. O camisa 12 costuma levar a bola para a linha a de fundo e dar oportunidades para os atacantes. Além de estar de saída, Dagol se mostra muito individualista, logo não podemos contar com ele.

Lucas não pode ser considerado um companheiro para Luís Fabiano, uma vez que chega de trás em velocidade. Pode desequilibrar em jogadas individuais, todavia creio que o clube precisa de 2 atacantes. Cícero é uma boa opção, mas acredito que para o decorrer do jogo, precisamos de um cara que possa servir bem o Fabuloso e ainda marcar uns gols.

Ah se ele jogasse o que joga na Seleção Sub-20.
Penso que o ideal seria Fernandinho retornar bem das lesões e fazer o que melhor sabe, levar para a linha de fundo e bater para trás na área. Ainda há a possibilidade do tricolor do Morumbi comprar um novo atacante, entretanto é uma escolha arriscada. Essa contratação provavelmente demoraria para se adaptar, além de não existirem grandes nomes a disposição.

Adilson Batista deve tentar usar o que tem no elenco. Willian José e Cícero por enquanto parecem os substitutos mais prováveis quando Dagoberto sair, caso Fernandinho continue com essas lesões. Vejo o time com os camisas 12 e 9 no ataque o melhor. Lucas e Cícero (ou Rivaldo) chegando de trás, com Casemiro e Wellington de voltantes ficaria perfeito, ao menos no papel.

8 de outubro de 2011

Joguinho sonolento

Nunca vi um técnico de Seleção poupar jogador. Se é pra convocar jogadores do melhor nível tem que jogar. Mano entrou com um time bem "reserva" no jogo de ontem contra a Costa Rica e tomou sufoco. Se os costa-riquenhos fossem um pouco melhor de pontaria teriam marcado. O primeiro tempo foi chato, mas o segundo podemos considerar que o Brasil jogou bem.

Como mostra a prancheta, Mano entrou em campo com Júlio César; Fabio, David Luiz, Thiago Silva e Adriano no setor defensivo. O técnico da Seleção preferiu deixar Daniel Alves e Marcelo, dois grandes destaques do Campeonato Espanhol no banco para por reservas. O meio já foi melhor escolhido, porém não rendeu tanto. Ralf fez o papel de volante defensivo enquanto Luiz Gustavo estava mais liberado para jogar, porém a bola não chegava nos matadores.

A escolha de dois volantes foi boa, assim teríamos os 4 homens de frente para definir bem soltos. Entretanto não foi bem assim. A bola não chegou em Neymar e Ronaldinho no primeiro tempo, muito menos em Lucas. Fred teve duas chances, mas acabou perdendo-as.

Pareceu que Mano acordou na segunda etapa e botou Hernanes, Oscar e Daniel Alves (além do goleiro Jefférson e Hulk nos momentos finais). O time mudou completamente de postura. Esses jogadores que entraram deram uma cara mais ofensiva para jogo. O ex-são paulino conseguia levar o jogo para frente, assim como o lateral do Barcelona. Oscar entrou bem e conseguiu arriscar algumas vezes, mas nada realmente perigoso.

Apesar do time ter melhorado, não demos um show. Falta o bom e velho futebol de Seleção Brasileira. Apenas o 1-0 contra a Costa Rica é pouco, ainda mais com um gol de sorte como foi o de Neymar, em uma falha da defesa. Mais uma vez repetirei: Mano tem que abrir o olho.

5 de outubro de 2011

Já saindo em desvantagem


Sempre fui contra a clubes jogarem em estádios muito acima do nível do mar, onde o ar é mais rarefeito e quem não está acostumado acaba tendo dificuldades respiratórias. Imagine então um clube tradicional jogar uma competição disputada com um modesto time boliviano tem grandes chances de ser eliminado! Esse exemplo é real e o Vasco encara hoje, em Cochabamba-BOL o Aurora para tentar ao menos empatar e se avançar de fase com um bom resultado em casa, na Sul-Americana.

Ricardo Gomes tirou o Vasco do poço, conquistou a Copa do Brasil e deixou o clube em uma situação bem agradável no Brasileirão - podendo conquistar o título. Teve todo o problema do AVE e Cristovão Borges assumiu a equipe. Agora o "interino" terá esse difícil tarefa de seguir na Sul-Americana e ser campeão brasileiro.

Apenas um clube brasileiro conseguiu conquistar a Sul-Americana, o Internacional, desde então todos querem também levantar a taça - até porque garante uma vaga na Libertadores. Entretanto a tarefa não é fácil, os clubes são bem equilibrados e muitas vezes os jogadores tem que disputar partidas em países onde o único beneficiado é o mandante.

Sou completamente contra a disputa de jogos acima de uma cerca altitude (em relação ao nível do mar) em competições internacionais. Nos campeonatos nacionais não há problemas, já que os clubes do país são acostumados com esse clima, porém se um time brasileira (chileno, argentino etc) joga em país como a Bolívia claramente estamos em desvantagem. Uma prova: As derrotas por 6-1 e 2-0 de Argentina e Brasil em território boliviano (respectivamente).

Por estes fatores citados creio que o Vasco já sai em desvantagem. Muitos jogadores foram poupados, uma vez que o clube cruzmaltino disputa o titulo do Brasileirão, e eles podem acabar tendo sérios problemas. Aposto em uma vitória por 1-0 do Aurora, mas torcerei muito pelo Vasco; para que represente bem o Brasil!

3 de outubro de 2011

Já estou cansado!


A arbitragem brasileira está ficando louca! Dão cartão vermelho como se fosse algo simples, uma prova disso foram as 8 avermelhadas em 10 jogos da 27ª rodada - uma média de 0,80 cartões por jogo. A um tempo já reclamo dos juízes que não deixam o jogo correr e qualquer tropeção é falta, cair em simulação boba nem se fala. Mas a minha paciência se esgotou no jogo entre São Paulo e Flamengo, no domingo.

O senhor Fabrício Neves Corrêa expulsou Lucas e Willians de formas bizarras e incoerentes. Dagoberto deveria ter ido para o vestiário mais cedo, entretanto por medo de dar um cartão seguido do outro o árbitro deu apenas a falta. Juiz não pode ter medo, porém tem que ter convicção de que o que está fazendo é correto.

Podemos nos igualar a eles.
O camisa 7 tricolor fez uma falta muito parecida com a feita por Renato minutos antes e foi advertido com o cartão amarelo, diferente do flamenguista. Não quero dizer que o juiz está favorecendo um time ou outro por safadeza, mas por ignorância. A expulsão de Willians foi estranhíssima. O volante já tinha um amarelo e em um lance que nem encostou em Carlinhos Paraíba levou o segundo cartão e também foi para o vestiário mais cedo. Com Dagoberto foi diferente. Já tinha o amarelo e em um lance em que chutou Galhardo saiu impune.

Vejo os jogos da Premier League e fico fascinado com o respeito que os jogadores (em geral) tem ao árbitro. Mas eles fazem por merecer. Deixam o jogo correr e entendem que dividas são normais. Entretanto não têm a dificuldade de diferenciar uma verdadeira falta de uma simulação, aí que vejo o maior problema: a honestidade de nossos jogadores. Até entendo que não queiram admitir que a bola tocou por último nele do que no adversário no tiro de meta, todavia se jogar é absurdo.

Sinto muita falta da coerência na arbitragem brasileira. Uma falta sempre será falta, independente do lance, time, posição ou tempo. Se marcou para um time terá que marcar igualmente para o outro, uma vez que fizeram o mesmo.

Infelizmente os juízes não abusaram apenas no São Paulo X Flamengo, uma vez que 8 cartões vermelhos foram distribuídos na rodada. Expulsões, gols marcados/anulados, suspensões etc equivocados erroneamente mudam muitas vezes o resultado de um jogo, logo, influencia no campeonato. É triste saber que o torcedor tem razão ao reclamar da arbitragem.

Destaques da 27ª rodada

Arbitragem ruim no jogo entre São Paulo e Flamengo: Neste jogo difícil no Morumbi presenciamos uma péssima arbitragem hoje. A expulsão de Wilians e de Lucas foi o resultado disso, pois o segundo cartão amarelo dos dois jogadores foram injustos e, ainda, o atacante tricolor Dagoberto, logo apos fazer seu gol, tirar a camisa e receber amarelo, cometeu uma falta digna de outro amarelo e o juiz não marcou nada. Alem desses erros o arbitro ainda deixou de marcar outras faltas.

Vitoria soada do Fluminense: Na tarde desse sábado no estadio do Volta Redonda, Raulino de Oliveira, o Fluminense conseguiu uma vitoria de virada bastante sofrida. O jogo foi bastante disputado e o tricolor marcou aos 50 minutos do segundo tempo, vencendo por 3 a 2.

Bela partida de Rogério Ceni e Dagoberto: Apesar de terem perdido a partida, Rogério Ceni e Dagoberto fizeram ótima partida. O goleiro tricolor fez belíssimas defesas evitando que o Flamengo fizesse mais gols - a partida ficou no 2 a 1 para os cariocas - e o atacante fez um lindo gol de fora da área na hora do empate da partida. 

Uma revira volta muito louca
A liderança do Brasileirão 2011 está mais disputada do que nunca. Nessa rodada o Vasco que poderia se distanciar de Corinthians e São Paulo acabou empatando com o alvinegro paulista e perdeu uma grande oportunidade. O tricolor do Morumbi, assim como o Corinthians também tiveram essa chance, mas como dito não conseguiram. O campeonato segue na mesma, porém Fluminense e Flamengo encostaram bem mais!

200 mil acessos!

O Nosso Futebol Clube bateu outra marca que eu não imaginava que seria possível. Enfim, alcançamos os 200 mil acessos. Não sei se lembram, mas a felicidade foi a mesmo quando chegamos às 1000 e as 100 mil! Duas marcas bem legais que representam bastante para mim.

Isso não seria possível sem os grandes leitores que temos, que participam, comentam e leem os posts. Agradeço também a todos os autores que já passaram por esse espaço e me ajudaram a ter um conteúdo de qualidade.

Esse site já foi um blog, e antes da opinião apenas noticiávamos. Sem querer desmerecer nenhum blog de notícia eu acho que competir com GloboEsporte, ESPN e Lance!, dentre outros sites, é muito difícil. Aos poucos nos acertamos e agora temos bons colunistas e posts opinativos que criam discussões saudáveis.

Recebi do Júnior (www.gremiokits.blogspot.com) uma homenagem por essa marca. Uma camisa fantasy de um time da cidade dele, o qual participará de um campeonato de mockups, com direito a patrocínio do NFC, meu nome e os "200 mil acessos" escritos nas costas.

Obrigado a todos!

1 de outubro de 2011

Planeta Bola: Como joga o Napoli

Quando me peguei pensando sobre o que escrever neste honroso espaço logo me veio a mente a ideia de postar sobre o Napoli. Tradicional equipe italiana, que após uma grande fase na década de 80 e 90 com Maradona e Careca, oscilou entre altos e baixos e, após uma boa última temporada, mostrou que essa pode ser a grande temporada do time de Cavani e cia.


Como pode ser muito bem visto na prancheta acima, o Napoli joga em um esquema praticamente extinto no pragmático futebol dos dias atuais: o ofensivo 3-4-3, que é apresentado como uma de suas variações: o 3-4-2-1.

O trio de zaga da equipe é algo bastante interessante. Campagnaro e Aronica apresentam certa liberdade para se movimentar pelas laterais e controlá-las. Já Cannnavaro é um típico líbero, já que joga bastante preso pelo meio, dificilmente se movimentando pelo meio-campo.

O meio da equipe é composto por uma linha de quatro. Maggio e Dossena se movimentam muito bem pelas pontas, sendo as armas surpresas do ataque, no entanto, acabam por não ter extrema liberdade, já que são obrigados a auxiliar na marcação.

A dupla de volantes vê Gargano, que joga mais preso e, às vezes, parte para o ataque, e, Inler, o qual tem liberdade para sair jogando e auxilia na marcação, mas seu grande para seu parceiro de posição é o fato de ser responsável por sair para o jogo.

Hamsik é alma, o cérebro desse equipe. Mesmo não tendo grande popularidade e pompa, o eslovaco se mostra como um dos principais jogadores, atualmente, em atividade no Calcio. Responsável por armar a maioria das jogadas e muitas vezes aparecer como um segundo atacante, podendo ser considerado como o maestro da equipe.

Por fim, temos a dupla de atacantes. O argentino Lavezzi se movimenta muito bem, busca jogo e sempre está por dar condições ao seu companheiro de ataque ou aos meio-campistas que partem de trás. O uruguaio Cavani é responsável pelos gols da equipe, sempre se movimentando para confundir a defesa adversária e buscar uma melhor condição, o centroavante apresenta grande aproveitamento nas finalizações.

O esquema do Napoli faz com que o time italiano tenha que basear seu jogo na velocidade e na troca de passes, para assim, dar condições para que Cavani faça seus gols. No entanto, se não acontecesse a boa movimentação de Lavezzi e Hamsik, o uruguaio não iria encontrar grande facilidade para jogar, realçando a força do coleito dentro da equipe.

Eis assim que joga o Napoli, um dos grandes candidatos ao título do Calcio e ao status de grande surpresa da temporada europeia.

Felipe Ferreira (@felipepf13) tem 14 anos, é fanático por esportes, sobretudo o futebol, e escreve em seu blog: http://territorioesportivo.blogspot.com