29 de junho de 2012

Romarinho: Ídolo ou talismã?

O atacante do Corinthians, Romarinho é o nome mais comentado do momento. O atleta ex-Bragantino já marcou três gols em menos de dois jogos e se tornou trending topic do mundo da bola. Como seu nome é um dos mais comentados do momento eu não poderia ficar para trás e lendo bastante sobre o jovem artilheiro (?) me veio uma dúvida: Ele é (será) apenas mais um talismã ou desta vez aparecerá um novo ídolo da Gaviões da Fiel?

Duas partidas (nem isso) é um número que pouco diz sobre o futuro e regularidade de um atleta, contudo sua atuação no Paulistão 2012 deve ser considerada. É cedo para dizer sobre uma possível idolatria, mas pelo ano do atleta acredito que seu combustível ainda não acabou.

Ser titular? Ainda é cedo, mas para o banco é uma grande opção que poucos (se houver algum) clubes brasileiros têm. Romarinho é veloz, ousado e habilidoso, tudo o que faltava no time experiente e lento do Corinthians e se esperava de Willian, Dentinho, Lulinho e outros protótipos de craque.

O famoso blogueiro disse em um de seus textos que Romarinho pode ser um ídolo ou cair no esquecimento, como vários outros caíram. A final da Libertadores pode significar muito não só para o Timão mas sim para o novo atacante do clube que com um gol na primeira partida tem a chance de marcar seu nome na história do clube.

###

São Paulo: 3-5-2
Emerson Leão deixou o Tricolor do Morumbi e o auxiliar técnico eterno do clube, Milton Cruz assumirá o comando do time contra o Cruzeiro. Nos treinos já se esboçou o tradicional 3-5-2 que deu bastante certo nos tempos de Muricy Ramalho. Ele foi ousado por interromper um trabalho, contudo arriscou bem aproveitando melhor as partes do campo sem comprometer a defesa que ganhou a companhia de João Filipe.

Lúcio
O zagueiro líder da Seleção Brasileira durante bastante tempo nos últimos anos rescindiu hoje seu contrato com a Inter de Milão e já é cobiçado por vários clubes brasileiros. Sua contratação é excelente por qualquer time seria brilhante, já que sempre demonstrou raça e espírito de liderança. São Paulo e Internacional são os mais interessados no jogador.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

24 de junho de 2012

Panela velha é que faz comida boa

Diferente do que Mano Menezes, a CBF e a maioria dos torcedores brasileiros pensam, renovação não é encher o time de jovens atletas que não sabem a responsabilidade que é vestir a camisa da Seleção Brasileira e não aguentam a pressão, mas sim misturar habilidade com responsabilidade, usando assim jogadores jovens e "velhos". O trabalho não está sendo feito da melhor forma, portanto, devemos seguir o exemplo da Itália.

Sim, a Azzurra, eliminada na fase de grupos da Copa Mundo, é o exemplo a ser seguido. O técnico Cesare Prandelli apostou nos ídolos do país e são eles que tem decidido na Eurocopa. Buffon, Pirlo, Cassano e até De Rossi (28 anos) são destaques provando que panela velha é que faz comida boa.

O camisa 1 fez defesas inacreditáveis e encorajou os italianos quando ninguém mais acreditava. Pirlo é o maestro mais completo da Eurocopa e depois de jogos como o de hoje contra a Inglaterra e o da fase de grupos contra a Espanha, é notório que o time gira em torno do atleta da Juventus. Cassano finaliza o jogo e De Rossi é um jogador correto, o qual não erra e ainda assusta no ataque como foi diante do English Team.

Os mais velhos do elenco são importantíssimos e provavelmente até vitais, entretanto jovens também são importantes. Balotelli se tornou uma peça importante e a molecagem de Pirlo nas cobranças de pênalti, com uma cavadinha, também acrescentam muito à equipe.

No Brasil a montagem do time tem que ser feita de forma semelhante. Neymar, Oscar, Lucas, Leandro Damião e companhia não devem perder suas vagas, contudo atletas mais experientes como Jéfferson, Kaká, Robinho e Luís Fabiano também merecem seu espaço, mesclando assim o jeito moleque com a experiência.

A Seleção Canarinha sente falta de um guia em campo e precisamos de ao menos um no meio de campo. Não basta Thiago Silva e Jefférson afastados de onde o jogo pega fogo, um maestro que tenha calma em momentos de pressão é importante, caso contrário um 1 a 0 pode virar uma derrota monstro.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

Vote e aguarde

Como pode se perceber, o NossoFutebolClube está parado a alguns dias. Eventualmente escrevo algo (como foi o caso do meu desabafo no dia da eliminação do São Paulo da Copa do Brasil), porém na maior parte do tempo o blog fica/ficou sem posts novos.

O motivo dessa pausa sem explicações é que eu precisava de um descanso. Depois de muito tempo postando sem interrupções decidir tirar alguns dias de férias. E junto as férias pensei em uma reformulação no conteúdo do blog.

Muitas vezes me sinto perdido por não saber se analiso uma partida, faço um pré-jogo, faço um post de opinião, se posto um simples texto/vídeo/imagem curioso(a) ou algum outro gênero. Para saber o que vocês preferem deixo uma enquete na barra lateral. O resultado sairá na quarta-feira e a partir deste dia seguirei um novo cronograma.

Este foi um sinal de que deve ter conteúdo novo no blog. Não garanto nada sobre a rodada de hoje, porém há a possibilidade de aparecer. Vote e aguarde. Caso queira sugerir outro tipo de texto deixe um comentário.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

21 de junho de 2012

Desabafo de um torcedor

Não deu. Falhamos. Não fomos tão piores, foi coisa do futebol mesmo. O São Paulo acreditou até o fim é essa a postura que gosto de ver. Não estou neste por para chamar um jogador ou outro de pipoqueiro, muito menos para pedir a cabeça do Leão, mas sim para fazer um desabafo.

Como torcedor, estou desnorteado, sem saber o que fazer, afinal não é (e quando for o futebol perderá a graça) aceitável ver o sucesso vazar pelas mãos. Era um gol que faltava e não entrou. Rhodolfo falhou, mas a culpa não é dele. Lucas poderia ter sido mais participativo, contudo não foi a nossa jóia que deu a vaga para o Coxa. Acidentes acontecem nas melhores famílias e tudo tem acontecido contra o Tricolor.

Desde 2008 o título está pronto para ser deliciado, o grito de "é campeão" pronto para ser soltado, todavia a ironia do destino impede. 2009 foi ver o Brasileirão cair no colo do Flamengo e Ricardo Gomes ser chamado de burro. 2010, novamente o ex-técnico foi xingado, entretanto desta vez perdeu o cargo ao ser eliminado nas semi-finais da Libertadores para o Internacional. 2011, um ano apático, sonolento, sem graça. Nada de bom nas mãos. 2012 era o ano perfeito: Cortez, Luís Fabiano, Jádson, Lucas e um time embalado para ser campeão e novamente não veio o título.

A noite já era ruim quando acabou o jogo. Ter que aguentar os coxas-brancas gritando eliminado foi duro e mudar de canal foi necessário. Outra decepção: Corinthians 1 X 1 Santos. Os alvinegros (para não dizer gambás) chegando na final da Libertadores e tornando o sonho até então impossível em grandes chances de levantar o caneco e tirar a piadas das "más línguas".

Era um gol que faltava e não entrou. Era a bola do Luís Fabiano ou a do Lucas que poderia ter entrado. Qualquer chute do Alan Kardec, Neymar e Borges e... nada! Noite péssima, e o pior: no dia do meu aniversário.

Em momentos como esses não há como ser impessoal e isso é o futebol. O que tem que acontecer é saber conviver de forma sadia com outros torcedores, como aceitando brincadeiras como o apelido ,citado por mim, de "gambá" aos corintianos. Não pretendia postar nada essa semana, contudo achei necessário. Realmente foi um desabafo, em um tempo que não há chances (nem graça) de fazer um boa análise.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

11 de junho de 2012

Se ergue a segunda torre de Paris


A cidade de Paris é famosa por além de outras coisas, a Torre Eiffel, conhecida, admirada e porque não copiada no mundo inteiro. Em 2012 uma segunda torre parisiense parece se erguer, entretanto não é famosa pela sua altura, mas pelo preço e habilidade com os pés. Seu nome? Paris Saint-Germain.

Assim com o Manchester City, um novo império está se erguendo no futebol. Na França, o PSG (como é conhecido) está em grande acensão desde a compra do clube por um grupo bilionário árabe. Desde então caminhões de dinheiro foram despejados no clube que já contratou Thiago Motta (R$ 23 mi), Pastore (R$ 93 mi) e está prestes a fechar com Lavezzi, do Napoli, por aproximadamente 63,6 milhões de reais e Thiago Silva, do Milan, por 127.

O clube tem tudo para ser um grande sucesso financeiro e futebolístico, como foi o City, o qual tem uma administração semelhante ao do clube do técnico brasileiro Leonardo. E deve ser um novo gigante no cenário europeu.

Apesar do investimento e da chance de sucesso serem altos há uma pequena taxa de risco que deve ser considerada. A Ligue 1 (o nacional francês) nunca foi uma liga muito popular e da mesma forma que pode ser mais assistida com o crescimento do PSG pode seguir como está e não render o esperado para o clube.

Se há uma aposta que farei na temporada 2012-13 será no crescimento do clube da capital francesa. Em 2011-12 acreditei e torci pelo Manchester City e o planejamento se concretizou com o título impressionante da Premier League, comandado pelas estrelas Aguero, David Silva e Yaya Touré. Lavezzi, Thiago Silva (!), Pastore, Nenê, Ménez, Lugano, Alex e companhia são os caras de 2012/13 e deixarão de ser surpresa e promessa para ser tornarem protagonistas e reais.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

10 de junho de 2012

Saldo positivo

Ao acompanhar todos os amistosos da Seleção Brasileira das últimas semanas pude tirar uma conclusão: o time de Mano Menezes está pronto para disputar as Olimpíadas (não a Copa do Mundo).

Neymar, Oscar e Hulk já tinham provado que estavam prontos e Damião me convenceu ontem, com o passe para o gol do camisa 10, que também é um bom nome para a competição. O maior problema está na defesa: de Sandro pra trás o time está fraco (tirando o Rafael).

Juan e Bruno Uvini são bons atletas, contudo não são titulares de Seleção Brasileira. Não foi falha do Mano os escalar, afinal, a necessidade faz o sapo pular e ele agiu com o que tinha no banco. São atletas jovens que disputaram mais partidas no sub-20 do que na carreira profissional, portanto não está prontos para vestir a amarelinha.

Danilo/Fábio são bons laterais, entretanto o pecado é notório que pecam na experiência. Marcelo é o único que se salva no futebol, mas ele é como uma bomba prestes a explodir a qualquer hora.

Sandro é de confiança de Mano, todavia nunca me convenceu, assim como Lucas (Liverpool) e qualquer outro primeiro-volante que ele tenha chamado. Eu quero ver um "brutucu" que dê medo aos atacantes, ao melhor estilo Felipe Melo, não dois meninos de cabelo enfeitado.

Enfim, o time está bom demais. Fazia tempo que não ficava feliz desta forma com a Seleção Brasileira. A melhora prevista está acontecendo e foi provada em uma ótima partida contra um adversário teoricamente melhor. As Olimpíadas vem aí e se o futebol for mantido temos chance do ouro inédito.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

9 de junho de 2012

A Dinamarca não é tudo isso

Normalmente não posto sobre o futebol internacional, porém pela falta de textos no blog e pela importância da Eurocopa 2012 provavelmente trarei análises sobre a competição.

O placar de 1 a 0 da Dinamarca sobre a Holanda engana os mais desatentos, uma vez que o domínio da partida foi laranja, entretanto há dias que a bola não entra. Das 28 finalizações holandesas apenas 8 foram na meta dinamarquesa, o que traduz no domínio da Laranja Mecânica e no poder de criação de Sneijder, Robben e companhia.

O Cara
O goleiro dinamarquês foi o maior destaque da partida. Não foram muitas defesas, mas boas e pontuais o que garantiram a até então impossível vitória da Dinamarca sobre a vice-campeão da Copa do Mundo, Holanda.

O gol
Nada de golaço ou grande jogada individual. A "Dinamáquina" fez uma partida inferior ao time de Stekelemburg, Robben etc, logo não criou a melhor oportunidade, contudo foi a equipe mais precisa ao definir suas jogadas. Com apenas 8 chutes a gol, conseguiu aproveitar muito bem uma falha de posicionamento do time de van Marwijk e fez o único gol do jogo.

Não é o fim. Apesar de perder para um time que perdeu por 3 a 1 para o Brasil (que vive uma fase muito pior do que a Holanda) há de se considerar que foi uma estréia e toda expectativa e obrigação estava na camisa laranja. O segundo jogo deve ser mais equilibrado, assim como o resto da competição. Desta forma, deposito minhas fichas no time dos Países Baixos, acreditando que chegarão na final.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

4 de junho de 2012

Atleta de fases

O mundo da bola é bastante complexo e várias variáveis influenciam no desempenho de um atleta, seja a camisa, a cidade sede do clube, sua moral e principalmente a fase. Ronaldinho Gaúcho saiu do Milan e desembarcou no Rio de Janeiro pronto para a farra, tudo estava armado para o camisa 10 pintar a bordar com a bola nos pés e nos pagodes da capital carioca. Entretanto as variantes agiram contra o futebol do gaúcho não  se desenvolveu como esperado e aliado as festas contribuíram para sua saída do Fla ao melhor estilo Fernando Collor de Melo, saiu para não ser chutado.

3 de junho de 2012

Perder faz parte

Já se viu um time ser campeão sem perder? Até o poderoso Barcelona já foi derrotado neste ano, porém a reação é completamente diferente quando é com a Seleção Brasileira. Afinal "o futebol brasileiro é um lixo" e "o Mano deveria sair". Neymar, Marcelo, Oscar e companhia não jogaram mal e o resultado final não reflete em nada a atuação do Brasil, o qual foi derrotado em dois jogos isolados.

Sem tirar os méritos do México (afinal se não estivessem dispostos não haveriam chances), a vitória foi de sorte. No primeiro gol Giovani dos Santos teve sorte ao enganar Rafael com um chute de cobertura e Chicharito só marcou em seguida devido a ingenuidade do inexperiente Juan. Dois gols em menos de 15 minutos abalam até o Brasil de 1970 e todo o preparo foi por água abaixo com 32 minutos de jogo.

Apesar de ficar atrás no placar, a Seleção não desistiu de atacar e assim como na primeira etapa continuou com a posse e domínio do jogo. Tinha tudo para decidir, mas atacar com cinco contra dez defensores é complicado. Neymar poderia ter sido mais ousado, Oscar mais perfeccionista, Hulk mais seguro e Damião deveria ter incorporado o espírito artilheiro de 2011. Mas nada disso aconteceu e tenho certeza que esses jogadores levarão para casa a ideia de que falharam e não repetirão mais.

O time brasileiro erra (e muito), contudo não repete suas falhas. Assim como Neymar brigou apenas uma vez com o técnico o time de Mano ficará mais atento para não falhar como neste jogo.

Na hora de criticar o brasileiro desce o pau no time e esquece que estávamos a dez jogos invictos. Não adiantar falar que se pegarmos a Argentina em um dia de inspiração de Messi perderemos de goleada, porque se os hermanos baterem de frente com o monstro interior de Neymar: salve-se quem puder. Perder faz parte de um processo de amadurecimento deste time sub23.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook