13 de abril de 2011

Velho ou experiente?

Hoje vimos um caso em que a idade só soma experiência na carreira de um jogador. Ryan Giggs, apesar de ter 37 anos vem mostrando um futebol excepcional com decidiu um derby inglês, que valia uma vaga nas semi-finais da Champions League, dando duas assistências, para gols de Chicharito e Park Ji Sung.


Além do caso de Giggs temos os de Juninho Pernambucano e Rivaldo. O primeiro deve assinar com o Vasco nos próximos dias e acredito que ao lado do também experiente Felipe deve comandar o meia vascaíno. A experiência conta em casos como este. Juninho participou das Eliminatórias da Copa de 2002, na qual o Brasil levantou a taça e jogou a Copa de 2006, que valeu a experiência. Saber como pode se comportar um adversário em uma determinada situação pode contar; como Rogério Ceni deve ter percebido o nervosismo de Júlio César, na cobrança da falta de seu gol 100.

Rivaldo sempre foi um jogador tranquilo e aprendeu o que isso pode influenciar em uma partida. Uma frieza em lances importantes ou para abrir um ângulo para um passe pode ser importante.

Um elenco experiente pode ser uma vantagem por um certo lado, já que terá jogadores com distintas experiências dentro e fora de campo, o que pode conquistar a torcida; será que se Adriano fosse mais experiente ele se envolveria em tantas confusões? Mas tudo tem um lado negativo, será que um time experiente não pode ser considerado velho? Qual seria a diferença? Acredito que a postura que o time toma e até mesmo os comportamentos extra-campo podem valer em um caso como este.

Nenhum comentário:

Postar um comentário