3 de abril de 2014

Bloco Socialista FC!

Com o avanço da questão da Criméia e o "novo imperialismo" russo há quem fale na formação de uma nova União Soviética comandada por Vladimir Putin. Isso é improvável, mas falando de futebol vale a pena voltar aos períodos de Guerra Fria quando ainda havia uma seleção da famosa URSS. Por ela jogou, por exemplo, o Aranha Negra, Lev Yashin, considerado por alguns como o melhor goleiro do mundo. Tendo isso em vista, e se além de se reestruturar a União Soviética, fosse uma formada uma seleção dos países que formaram o bloco socialista no período em que o mundo era polarizado pelo capitalismo e pelo socialismo haveria mais um timaço na praça.



Supondo que eu fosse o técnico dessa nova seleção para começar a minha convocação chamaria Petr Cech, um dos melhores goleiros do mundo que defende o Chelsea e a República Tcheca. A defesa ainda ficaria bem fechada com escalação dos zagueiros sérvios Vidic (Manchester United) e Subotic (Borussia Dortmund), além dos laterais (também nascidos na Sérvia), Kolarov (Manchester City) e Ivanovic (Chelsea). Com uma defesa claramente dominada por Belgrado o meio começa a misturar as nacionalidades e mostrar o poder que essa equipe teria. Matic (sérvio jogador do Chelsea) garantiria a marcação e ainda iria para a área para marcar gols (como este, quem sabe). O polonês do Borussia Dortmund, Kuba (ou Błaszczykowski), o eslovaco Hamsik (Napoli) e o croata Modric (Real Madrid) confeririam força, armação e velocidade ao meio. No ataque haveria várias opções, mas pelo poder de gol Lewandowski (Polônia/Borussia Dortmund) e Dzeko (Bósnia/Manchester City) seriam meus matadores.

Essa seleção ainda contaria com um poderoso banco, que supriria facilmente qualquer problema entre os onze principais. Nele estariam atletas renomados como os goleiros Sczesny (Polônia/Arsenal) e Handanovic (Eslovênia/Internazionale). A defesa contaria com o apoio do ucraniano que já jogou no Barcelona Chygrynskiy e da promessa sérvia do Manchester City, Nastasic, além do lateral do Shakthar, Srna. O meio não possuiria tantos nomes de peso, mas a presença de Shaqiri (que joga pela Suíça, mas nasceu no Kosovo), Mkhitaryan (armênio do Borussia) e Arshavin (Rússia) garantiriam um forte poder de ataque. Dentro da área adversário haveria a opção do montenegrino do City, Jovetic, além do croata do Bayern de Munique, Mario Mandzukic.

Fala-se muito no sucesso que a Bélgica poderá ter na Copa de 2014, mas essa seleção do bloco soviético (que por opção minha não conta com a Alemanha Oriental!) deixaria os belgas facilmente para trás. A reunião de craques dos maiores clubes formaria um elenco conciso e que superaria além de Bruxelas seus algozes americanos. Um grande título, provavelmente seria garantido, pois Espanha, Brasil, Argentina, Inglaterra, dentre outros, ainda são forças indiscutíveis no futebol, porém a "nova URSS" poderia escrever seu nome ao lado dessas seleções de sucesso.

Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário