5 de setembro de 2014

Um goleador fora das quatro linhas


Quando os empresários de jogadores começaram a ganhar o seu espaço no universo futebol poucos imaginariam que alguns anos depois eles seriam os elementos centrais dessa indústria cada vez mais complexa. Um poder que ultrapassa o aspecto meramente financeiro e que agora, mais do que nunca, tem capacidade inclusive para moldar projetos desportivos. Esse é o mundo comandado pelo empresário português Jorge Mendes.

Mendes é uma máquina de fazer dinheiro no mundo milionário do futebol. A sua empresa foi quem mais dinheiro movimentou em transferências de jogadores no mercado futebolístico: cerca de 370 milhões de euros. Após muito tentar, o português nunca conseguiu emplacar uma carreira de sucesso sendo jogador de futebol, mas fora das quatro linhas ele é destaque. Em seguida vieram inúmeras tentativas: Jorge tentou a vida na noite, foi DJ e dono de uma boate, mas o sucesso chegou em 1996, quando ele criou a agência Gestifute.
A relação que estabelece com Cristiano Ronaldo e José Mourinho, os dois grandes embaixadores do futebol português além das fronteiras e dois dos ícones mundiais que o futebol produziu nos últimos anos, transformaram por completo a sua carreira, então reclusa na terra do bacalhau.

Sua primeira grande negociação foi a venda de Hugo Viana ao Newcastle em 2002, por € 12 milhões. Desde então, a carreira e o poder do empresário progrediram bastante. Mendes é capaz do impossível. Fez Alex Ferguson, um dos maiores técnicos da história, contratar um jogador que nunca tinha visto jogar por um valor astronômico. Na Inglaterra nunca se esquecerão de Bebé, jogador eleito melhor o de uma competição de futebol de rua, que acabou sendo contratado pelo Manchester United. Foi o negócio que deixou claro a todos o poder do português poder nos bastidores do futebol.


Vale destacar ainda o poder de Mendes entre os técnicos. Mourinho já é amigo de longa data, desde os tempos em que o treinador comandava o Porto, e é um técnico já consolidado; por isso, o empresário tem novas boas apostas. Além de André Villas-Boas (Zenit) e Jorge Jesus (Benfica), Diego Simione tem como agente o português.
 
Na última janela de transferências, James Rodriguez, Dí Maria, Falcao García e Diego Costa foram protagonistas, e por trás desses (e mais alguns) craques, está Jorge Mendes. É sabido que em todas essas negociações, o portuga tinha direito a 20% da transferência. E aí, quem tá melhor na fita?

Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário