16 de fevereiro de 2011

Arbitragem vergonhosa

Não sei se é o Goiás ou os clubes "top" do Brasil que são desonestos. Via as simulações de Neymar e não gostava, mas não sabia que era uma desonestidade tão grande que pode manchar a imagem de uma equipe. E o pior é o árbitro que cai nessas simulações. No Vitória-ES - Goiás de agora a noite foi desta forma. O clube capixaba se jogou, mas pouco em relação ao que o Goiás fez; eles abusaram e o árbitro Emerson de Almeida Ferreira caiu em todas; até as mais absurdas.



Na primeira etapa o Vitória-ES jogou muito bem; melhor que o Goiás, porém o preparo dos jogadores não é o dos melhores. Wallace correu; jogou determinado, as jogadas foram boas, mas na primeira vez que foram acionados levaram o gol do atacante Hugo(9). Nem dez minutos depois o camisa 9 do Goiás fez falta dura, levou o segundo amarelo e foi expulso. O Vitória continuou pressionando, mas os times pequenos daqui do Espírito Santo não aguentam o mesmo pique sempre e rapidamente se cansaram. Um dos principais erros do jogo pode ter acontecido aos 44' quando o zagueiro Ernandes(Vitória) levou cartão amarelo. Aos 8 do segundo o zagueiro fez outra falta e foi para o vestiário mais cedo.

Na segunda etapa logo aos 11' o técnico Fabio Henrique tirou Flávio Santos e colocou Fusquinha que deu um novo ar para o clube alvianil, mas esse ar não demorou a acabar e o clube manteve-se lento. A torcida do Vitória se animou aos 14' quando Hércules invadiu a área animado, passou por Ernando e mesmo sem ângulo balançou as redes do goleiro Harlei. O jogo estava mais tranquilo para os capixabas, mas aos 24' o zagueiro Nem falhou bizonhamente e deixou Rafael Tolói sozinho na área que marcou. O árbitro já estava errando absurdamente, mas o ápice foi aos 28' quando marcou um pênalti completamente inexistente para o Goiás; Marcelo Costa converteu; 3-1. 

A esperança do Vitória para disputar o segundo jogo já era e o Goiás ainda marcou mais um. Logo depois da expulsão de Sidnei, Marcelo Costa marcou seu segundo em um contra-ataque martal; chute indefensável para o goleiro Reinaldo.

Com essa vitória o segundo jogo é desnecessário e o Goiás enfrentará ou o Baré-RR ou a Ponte Preta na próxima fase da Copa do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário