10 de abril de 2013

Barcelona 1 X 1 PSG

"Um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade". Foi com essa frase que Neil Armstrong demonstrou a importante de sua chegada à lua. É essa mesma frase que caracteriza perfeitamente o momento vivido pelo Paris Saint-Germain no início de noite desta quarta-feira. A dura eliminação significa pouco para os jogadores do PSG - afinal jogaram um futebol do nível do Barcelona - entretanto é um grande passo para a consagração do clube parisiense como um gigante europeu.


Enquanto há quem queira eternizar o empate por 1 a 1 entre Barcelona e PSG pela importância de Messi, que começou no banco devido a uma lesão e mudou a cara do jogo quando pisou no gramado do Camp Nou, eu prefiro deixar marcada a qualidade do time francês.

Considerado como zebra, caso avançasse, o time comandado por Carlo Ancelotti jogou um futebol que não deve nada ao demonstrado pelo time de Tito Vilanova. Fora de casa começaram acuados, contudo o experiente Ibrahimovic mostrou que não havia o que temer e levou Lavezzi, Pastore e Lucas para o ataque. O primeiro tempo foi pau-a-pau. O Barça tinha mais posse e dominava o jogo, entretanto o PSG foi mais efetivo e chegou perigosamente Lavezzi e Lucas (duas vezes), enquanto a equipe blaugrana só assustou com Xavi (de falta).

A segunda metade foi ainda mais pegada, principalmente pelo fato do time da capital francesa ter aberto o placar logo no início. O sueco Ibrahimovic realizou mais uma assistência na Champions League (sua sétima) e deixou Pastore de frente para o gol, que bateu e contou com a ajuda do desviou de Daniel Alves para marcar.

Com a calma que iniciaram o jogo, o Paris Saint-Germain poderia conquistar a vitória fora de casa e a inesperada classificação. Seria um passo gigantesco para um time que a poucos anos não era nem uma segunda força do futebol francês. Entretanto preferiram partir pra cima e eram por várias vezes surpreendidos com chegadas de Iniesta e Daniel Alves. Faltando 30 minutos para o fim da partida entrou o rapaz que poderia mudar (e mudou) o placar. Ele não esperou nem 10 minutos e ao passar por três deixou para Villa que rolou para uma bomba de Pedro, que empatou - o que garantia a classificação da equipe catalã.

Se com o placar zerado já era difícil bater de frente com o Barcelona, imagina com ele em 1 a 1. Beckham chegou a entrar, mas nada passava pela defesa composta neste momento por Jordi Alba, Piqué, Bartra, Adriano e Song. O empate decretou a eliminação do PSG, mas não a vontade do clube presidido por bilionários árabes de voltar no ano que vem a disputar as quartas-de-final da UCL.

Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário