1 de abril de 2013

Foi pênalti?

A discussão que ronda as mesas de bares Brasil afora é: Rogério Ceni realmente cometeu pênalti em Alexandre Pato? A dividida entre os dois atletas foi completamente duvidosa, visto que enquanto o goleiro se preparava para expulsar a bola de sua área, o atacante vinha com tudo para tentar marcar o gol. Sendo assim, ninguém teve culpa, afinal estavam fazendo o que o futebol manda: fazer, ou evitar que sejam feitos gols.

O lance se inicia quando Rafael Toloi, próximo a área do São Paulo pede a bola para chutá-la para frente e acabar com a pressão corintiana em seu campo de ataque. O zagueiro tricolor poderia simplesmente levantar a cabeça e mandar uma porrada para frente, entretanto, devido ao excesso de confiança em Rogério Ceni, tocou pelo alto e sem olhar para o goleiro-artilheiro. O camisa 01 impossibilitado de realizar qualquer outra coisa decide fazer o que Toloi deveria ter feito, mas quando mal esperava apareceu Pato para dar um toquinho e gerar a polêmica da semana ao ser chutado involuntariamente pelo pé já em movimento do arqueiro tricolor.

Ninguém foi imprudente no lance, como há quem defenda que Rogério poderia não ter chutado ou o camisa 7 tenha realizado lance perigoso. Sou contra às duas versões, já que o movimento do chute já era feito, ou seja, o goleiro estava impossibilitado de interrompê-lo, e o atacante corintiano não solou a perna do adversário e sim deu um biquinho para tentar ficar cara-a-cara com o gol livre. Então de quem é a culpa? Foi falta de Rogério Ceni ou de Alexandre Pato?

A falta não foi de ninguém. Dois atletas em movimentos permitidos pelo futebol acidentalmente se colideram; culpa de quem? Do contato físico tão comum, legal e presente no futebol. Por mim, segue o jogo e o lance terminaria apenas em tiro de meta, quase como ocorreu em disputa parecida entre Rafael Toloi e Emerson Sheik no ano passado, em que a bola seguiu rolando normalmente.

Obs¹: Se o lance tivesse sido realmente pênalti o juiz deveria ter expulsado Ceni, pois Pato estava em um lance claro de gol, uma vez que nada estaria entre e o goleiro após a realização do "drible".

Obs²: Completamente desnecessária a comemoração de Pato mandando a torcida tricolor se calar. Entendo que está em fase de adaptação e precisa conquistar os corintianos, entretanto qualquer gesto em campo pode incitar a violência que é tão evidente nos estádios.

Facebook | Twitter

3 comentários:

  1. Fala Simonetti!

    Só para 'esclarecer': em faltas, não existe 'intenção'. 'Intenção' é só no caso de mão na bola e bola na mão.

    Se um jogador, sem querer, por já estar fazendo o movimento ou qualquer outro motivo chutar outro, é falta.

    Exemplo: eu dou um carrinho. Já estou no movimento. Meu adversário toca a bola pra frente e eu acerto ele. Não é falta? É sim. Mesma coisa. O Rogério fez o movimento, o Pato chegou primeiro, tirou a bola, foi chutado.

    Se é no meio campo, todo mundo costuma dizer que 'o jogador chegou atrasado'. E chegou mesmo.

    Sobre o vermelho, correto. Deveria ter sido expulso mesmo.

    Sobre o Pato mandar calar a boca: bom, é de cada um. Eu sempre achei massa o Romário mandar a torcida calar a boca quando enchiam o saco dele. No caso do Pato, a torcida chamou ele de assassino...

    Abração! : )

    ResponderExcluir
  2. Opa, fala ai, cara.
    Talvez eu tenha me expressado mal, mas no que quis dizer a intenção foi que o Rogério foi para o chute sem nem considerar a dividida; ele foi pra chutar e apenas. E sobre essa interpretação da regra é apenas a sua, é bom lembrar que as regras do futebol são pouco específicas em relação ao que é falta ou não, portanto cabe a visão de cada um eu.Eu já penso um pouco diferente em relação a imprudência que você falou. Pense que estou na cara do gol e quando vou chutar para um gol certo um jogador entra na minha frente, só que ao invés dele ir na bola e atira seu corpo em direção ao meu, justamente para ter uma falta a seu favor... Não vi isso neste lance, mas acho que deve-se ter uma mesma medida para estes lances semelhantes.

    Enfim, sobre o resto concordo bastante com você. Até acho legal essas comemorações explosivas de mandar a torcida se calar ou mandar um "créu", entretanto devido a toda polêmica do lance e ao momento das torcidas (principalmente a corintiana) no cenário sul-americano acho melhor não incitarmos o ódio, ainda mais em um clássico.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Pra mim não houve penalti no lance. Quanto ao Pato ter mandado a galera ficar quieta desde que a bola é redonda é assim. Quem não gosta tem que ir pro teatro.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir