11 de agosto de 2013

A soberba leva o São Paulo para o buraco

No fundo todos sabem que a culpa da péssima fase do São Paulo não deve-se apenas pelo que ocorre dentro de campo. Obviamente o pênalti perdido por Rogério Ceni, a inatividade de Luís Fabiano e companhia e a burrada de Aloísio fazem uma total diferença, porém um aproveitamento de 9 pontos de 36 possíveis envolve também a torcida, a diretoria e principalmente a soberba tricolor.


O torcedor são-paulino foi mimado pelos títulos que conquistou nas últimas duas décadas. O clube no início dos anos 90 já era bi da Libertadores e se tornou tri logo em 2005. Depois veio a empolgante sequência de 2006 a 2008 com três títulos brasileiros conquistados. Isso tudo foi maravilhoso, mas fez com o que a torcida do clube se visse um degrau acima dos outros.

Acreditando apenas no que vinha de dentro do clube e recusando inspirações exteriores o time foi se destruindo de dentro pra fora. Anos depois, quando o São Paulo já não era mais o time da vez, quem levantava taças era o Corinthians de Andrés Sanchez, sempre ridicularizado e subestimado pelos tricolores. Hoje, a situação é ainda mais acentuada: o alvinegro é o atual campeão Mundial e tem uma poderosa marca internacional e um grande poder de marketing em mãos enquanto o Tricolor do Morumbi chega a ser comparado ao Íbis.

Também sou são-paulino e sei como é difícil apontar os próprios erros, contudo é isso ou um caminho muito mais doloroso. Temos que reconhecer que a culpa não é só do árbitro que não marca um pênalti duvidoso, do lateral que realmente não é bom ou do técnico, é também nossa. Sobra até para Rogério Ceni, que tem o dever como responsável do time, passar (ao menos provisoriamente) a responsabilidade de cobra os pênaltis para o outro atleta, já que a fase dele não é nada boa. A camisa do São Paulo foi ficando mais pesada e chegou a um ponto que o fardo era maior do que o clube poderia carregar.


É bom visar que com isso não isento a culpa de Juvenal Juvêncio que aplicou um golpe ao mudar a legislação do clube para se eleger pela terceira vez seguida, nem dos dirigentes, os quais mais lhe interessam a reeleição do que o bem do clube. Muito pelo contrário: quero ver muito mais dos que tem o poder e o dinheiro nas mãos.

Merecemos uma reforma geral com torcida comparecendo ao estádio e apoiando um time assumidamente inferior no momento, com dirigentes mais competentes e um elenco melhor. Inspiração não falta e não precisamos ir longe; por que não usar o Corinthians de Andrés como modelo (sem as alegadas falcatruas)? É hora de desinflar o ego e fugir o rebaixamento!

Facebook | Twitter

2 comentários:

  1. Veja bem, as últimas eliminações do São Paulo foram justamente para os dois clubes que mais se estruturaram nos últimos anos, Atlético e Corinthians que por sinal já colhem os frutos. Dificilmente o Tricolor irá nadar de braçadas como em outros anos. Os outros Clubes entenderam que, para ser grande de verdade, precisariam ir muito além do nome e da paixão. Ou seja, descobriram o segredo do São Paulo: organização e planejamento. www.assuntodoutebol.com.br

    ResponderExcluir
  2. Será que foi mesmo os clubes que descobriram o segredo do São Paulo de 2005-2008 ou o Tricolor que perdeu a magia em meio a uma diretoria corrupta e mais preocupada com politicagem do que com o futebol? Pois é, acho que já respondi kkk.
    Abração;
    Obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir