17 de junho de 2014

México: o maior desafio da fase de grupos


As viagens da Seleção Brasileria rumo à Fortaleza para enfrentar o México no Castelão (16h00) foram todas regadas a muita festa e pagode. Todos entraram no clima da Copa e estão empolgados para enfrentar o que pode ser o mais desafio do Brasil na fase de grupos.

Ambas as Seleções venceram em suas estreias na Copa do Mundo. Primeiramente, o Brasil, com uma atuação regular, bateu a Croácia por 3 a 1 e evidenciou alguns problemas principalmente no setor defensivo. Em segundo lugar, por outro lado, o México demonstrou seu excelente poder de fogo com eficientes investidas de Giovanni Dos Santos e Peralta, que só não golearam Camarões por erros da arbitragem.

Tendo essas falhas defensivas do Brasil e a eficiência ofensiva mexicana, Felipão deve ter trabalhado nos treinos uma recomposição tática mais efetiva. Daniel Alves, agora de visual novo, necessita mostrar também uma nova postura e quando avançar será necessário retornar para que não explorem suas costas, como fizeram os croatas. Passado o nervosismo da estreia, Thiago Silva e Julio Cesar precisam assumir o comando juntamente de David Luiz (um dos melhores brasileiros na estreia) e demonstrar segurança.


No mesmo contexto, é notório que o meio é o ponto forte da equipe brasileira. Neymar e Oscar brilharam na primeira partida, contudo, carecem de bons apoiadores. Faz-se necessária um maior auxílio de Paulinho, que também deve ser titular contra o México (veja na prancheta) e precisa realizar o papel de segundo volante, o qual não só marca, mas também apoia a armação de jogadas. Hulk é dúvida para a partida (devido uma possível lesão) e caso não jogue Ramires, Bernard ou William podem substituí-lo. O camisa 7 do Chelsea seria a melhor opção por sua velocidade e excelente movimentação em campo.

Sabendo disso, os esquemas táticos devem ser mantidos (apenas com a dúvida acerca de Hulk); deste modo, o Brasil de jogar como mostra a prancheta. O México, por outro lado, não apresenta desfalques e irá a campo com Ochoa, Rara Márquez, Rodríguez, Moreno, Aguilar, Layún, Vázquez, Guardado, Herrera, Dos Santos e Peralta, sendo assim, Chicharito começará novamente no banco.

Vê-se, portanto, que não será uma partida tranquila, porém com os acertos que devem ser feitos o mais esperado é uma vitória brasileira. Entretanto, devido a enorme ofensividade da equipe do técnico Miguel Herrera o Brasil pode sofrer alguns ataques fazendo com que uma vitória por 1 a 0 ou no máximo 2 a 0 seja excelente.

Enfim, acredito no sucesso do Brasil e palpito em um simples 1 a 0 com um gol de Neymar. Entretanto, deixando a imparcialidade de lado, torço para que seja mais (quem sabe uma goleada), que Neymar e companhia engatem e que no final da partida dê samba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário