29 de julho de 2012

Neymonstro

Quando, em 2010, Renê Simões falou que estávamos criando um monstro - se referindo a Neymar - ele estava certo. E agora, em 2012, o monstro está deitando e rolando nos gramados brasileiros e, agora, também nos ingleses. Se Pelé eternizou a 10, quem sabe Neymar não eternize (na era pós-Romário) essa 11?

A declaração de Renê obviamente não falava sobre seu futebol, mas sim sobre seu comportamento que de lá pra cá só melhorou. Como já disse o empresário do craque, Wagner Ribeiro, o atacante santista só erra uma vez. E foi exatamente assim. Deu o chapéu no Chicão, foi advertido e não voltou a repetir assim como quando brigou com Dorival Júnior e reconheceu seu erro.

Ousadia (e alegria) até na chuteira
Além de bom aprendedor Neymar é ousado (como propriamente se intitula). Ousado ao ponto de nunca desistir de uma jogada, ou não "pipocar" como diriam as más línguas. Se disser que ele não se dedicou é mentira, porque se o jogo está fácil ele faz questão de "engrassar" com pedaladas e dribles desconcertantes.

Contra a Bielorrússia foi exatamente assim. Ele não desistiu. Tentou muitas vezes, certo que errou várias, deixou de tocar em algumas e quem sabe até caiu em outras, porém o importante é que foi efetivo (e como foi!). É melhor morrer tentando do que se contentar com um empate como o adversário brasileiro fez.

Neymar foi a cara do jogo de hoje. Deu um passe para o gol de Alexandre Pato, que permitiu a reação brasileira. No segundo tempo a ousadia parece ter entrado em campo vestindo a camisa 11. Foi um show de dribles (ou tentativa deles) e um gol de falta ousado em que bateu no canto que o goleiro estava para tentar enganá-lo. Como toda história feliz costuma ter um final épico,  Ney fez questão de carimbar outro passe para gol; desta vez de calcanhar, e Oscar fechou a partida que deu a classificação da Seleção Brasileira.

Acompanhe o NossoFutebolClube também por Twitter e Facebook

4 comentários:

  1. A 11 já tá eterna com Romário hehehe

    ResponderExcluir
  2. Acho que deu apenas pro gasto. Não me conformo em levar gol de Bielorrúsia e outras barangas...de qualquer forma, estamos no caminho certo e parece que vem ouro aí. Menos pelo que jogamos e mais pelo que os outros deixam de jogar.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
  3. O gol foi muito eventual. Um único ataque, uma falha de marcação e um gol de cabeça. Foi uma falha momentânea, acho que difícil que volte a ocorrer.

    Abraço

    ResponderExcluir