4 de julho de 2014

Carta aberta aos jogadores da Seleção

Vitória(ES), 4 julho de 2014 (ano da nossa Copa do Mundo!)
Jogadores da Seleção Brasileira de Futebol,

Desde que acompanho futebol eu assisto à Seleção Brasileira. Para ser mais específico, comecei a amar esse esporte por causa da equipe canarinho, no para mim distante ano de 2006. Desde lá já torci muito, em duas Copas, mas nunca cheguei perto do que vejo hoje. Torço mais, grito mais, me emociono mais e mesmo com questionamentos (inclusive meus) acerca de quem deve ser o capitão, mesmo com a lesão de Neymar (a princípio nosso maior craque) estou confiante no título.

Muito se fala sobre se Thiago Silva deve ser realmente nosso capitão. Há atletas mais capacitados para tal responsabilidade? Pode ser que sim, mas esse não é o momento para tantas críticas. A Seleção agora deve ter 11 capitães em campo e fazer da braçadeira apenas um símbolo que poderia sumir em um ideal título, com todos os jogadores levantando a taça em conjunto.

Voltando à atual fase e tentando fugir do sonho de levantar a taça mais importante do mundo no dia 13 de julho: hoje sofremos um enorme choque. Neymar, nosso camisa 10, não jogará mais a Copa. Tal acontecimento é chocante, porém é hora de levantar a cabeça, acalmar o coração e se preparar para mais emoções semana que vem. Força à Neymar, que deixa de ser um jogador disponível para jogar e passa a ser mais um torcedor a passar vibrações positivas para a Seleção. Força também a seu substituto que terá um enorme peso nas costas, mas não o sentirá, pois o Brasil inteiro sabe de seu potencial, independente de quem seja.

Por fim, já subimos cinco degraus de um total de sete para o título da Copa do Mundo de 2014, na nossa casa, e não podemos cair. Vocês, os 23 jogadores (do primeiro goleiro, Julio César ao terceiro, Victor; do título absoluto, Neymar à Maxwell, convocado às pressas para a Copa; sem exceções) serão a personificação dos mais de 200 milhões de torcedores e tem tudo para brilhar mais uma vez contra a Alemanha (vide 2002). Receberão todo o carinho brasileiro por uma coisa tão fútil, mas paradoxalmente tão importante. Como se diz: “o futebol é a coisa mais importante das menos importantes”.

Em síntese, tenho idade para ter visto o Brasil ganhar a Copa de 2002, mas não o acompanhei. Hoje sou fã da Seleção e vejo todos os jogos possíveis. Sendo assim, faço um único pedido, que apesar clichê, é sincero: Brasil, jogue não só para mim, mas para toda a nação, que ama o futebol!

Jogadores, convertam todo o medo de jogar sem o suspenso Thiago Silva e o lesionado Neymar em mais motivação! 

Torcendo positivamente,

Um dos milhões de torcedores.

Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário