23 de agosto de 2014

O mundo e a bola: Ali Adnan e sua situação no Iraque

Em ação na Copa do Mundo, o craque iraquiano que terá seu futuro completamente mudado.

Muito se noticia nos grandes veículos de comunicação a violenta atuação do grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL ou ISIS, em inglês) no Oriente Médio. Em pouco tempo de efetiva atuação o que talvez seja o grupo terrorista mais fundamentalista islâmico já visto (sendo um dissidente criticado pela Al Qaeda) já domina aproximadamente 1/4 do Iraque e 1/3 da Síria. Seus planos, contudo não param por aí. O grupo objetiva tomar toda a região do Levante (que cobre do Egito à Turquia incluindo Israel e o Iraque além de outros países) e ali firmar um califado, ou seja, um Estado soberanamente islâmico radical que adotaria o conjunto de leis muçulmanas à risca - a dita, Sharia.

No olho do furacão deste conflito aparece o futebol, mais especificamente um jogador: Ali Adnan, iraquiano com família curda (maior povo sem país próprio, que hoje habita o norte do Iraque e o Sul da Síria, área mais atacado pelo ISIS). O Gareth Bale asiático, como é conhecido por sua explosão de velocidade e poderoso chute, conseguiu levar o Iraque ao quarto lugar na Copa do Mundo Sub-20 e assim chamou atenção do mundo. Desde então grandes clubes como Arsenal, Tottenham, Napoli, Sevilla e Roma (com quem aparentemente fechava com um contrato) se interessaram no garoto iraquiano.

Adnan Ali (direita) em missão pelo exército iraquiano.

Entretanto, o garoto de apenas 20 anos de idade e neto de um dos maiores atacantes da história do futebol de seu país parece ter objetivos maiores do que jogar em grandes clubes europeus. Seu sentimento patriota e o amor ao seu povo parecem mais importante e então ele se alistou para o exército xiita (outra vertente do islamismo) do país.

Sem medo ele, se preciso, lutará, enquanto seu povo busca abrigo em tortuosas e precárias estradas montanhosas na parte curda do Iraque. Lá não há boa qualidade de vida e a cada dia chegam feridos e famintos, os quais amontoam as cidades.
O poderoso e rico grupo Estado Islâmico do Iraque e Levante.

O povo iraquiano, fã de Adnan apoia completamente a atitude do craque do país, porém ainda há os que se opõe a tal decisão. Para estes, o agente do atleta já garantiu que a decisão não é definitiva, mas temporária. Adnan defenderá seu povo que já é massacrado pelos ricos terroristas (estima-se que detenham mais de 2 bilhões de reais em orçamento) apenas durante as férias. Depois da nova guerra entre os povos árabes retornará, se em boas condições, ao seu bom futebol e possivelmente partirá rumo à Inglaterra ou Itália.

"É um jogador diferente, que geralmente não aparece nas capas de revistas de moda e hotéis de luxo. Ali Adnan decidiu estacionar sua carreira e colocar sua vida em perigo. Ele está determinado a lutar pelo seu povo. Para os jovens é um exemplo a seguir." acrescenta um ídolo local do atacante.

Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário