15 de setembro de 2014

Do Bahia para o mundo


Franzino e em um clube de expressão média no Brasil, Anderson Talisca aparentava ser apenas mais um bom talento que não é reconhecido. O meia fazia brilhantes atuações pelo Bahia no Brasileirão, onde se mostrava versátil, armando e concluindo jogadas. Por esse motivo, chegou a ser apelidado pela torcida baiana de Yaya Talisca - em referência ao meia Yaya Touré, do Manchester City - e chamou atenção da Europa. Na metade do ano concretizou sua ida ao Benfica e hoje mostra-se não mais como promessa, mas como realidade no futebol português.

Logo em sua chegada ao Velho Continente, Talisca encantou os lusitanos por sua velocidade e jogadas de efeito. Encantou ainda o técnico Jorge Jesus, que se impressionou com a pontaria e posicionamento do atleta. Os referidos elogios foram apenas reflexos da boa adaptação do meia que com poucas partidas já foi eleito o melhor jogador da Taça da Honra, mesmo com a derrota do Benfica, e conseguiu o feito de marcar um hat-trick em vitória por 5 a 0 sobre o Vitória Setúbal.


Meses após sua transferência ele chama atenção de um português mais notório no futebol mundial. O técnico José Mourinho se impressionou com a habilidade do atleta e admitiu ter feito sondagens antes de Talisca concretizar por 12 milhões de reais sua ida aos Encarnados de Lisboa.

Segundo o técnico do Chelsea "Talisca só não está na Inglaterra porque não tem o visto de trabalho", contudo, ainda se mostrou interessado pelo atleta que poderia ser emprestado enquanto não adquire tal documento. A ideia era aproximá-lo da Seleção Brasileira o que tornaria tal procedimento mais fácil.


O que seria um empecilho já não está tão distante. Alexandre Gallo, coordenador da Seleção Brasileira Sub-20, se disse impressionado com as atuações do camisa 30 do Benfica, que flutua bem entre o a faixa central do campo (quando atua como armador) e os lados (partindo na velocidade) e ainda cobra faltas.

Anderson Talisca, assim, parece ter sua carreira bem encaminhada. Habilidade ele demonstra ter e comprometimento ainda não foi problema. Mantendo a constância a oportunidade de vestir a camisa da Seleção Brasileira deve chegar, o que lhe aproximará do povo do futebol europeu. Mourinho já se interessou, agora resta constância para não ser mais um Lulinha, marcado pela fama de promessa e um rápido esquecimento.
 
Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário